Taxas reduzidas aquecem mercado imobiliário

Após a crise econômica que atingiu o Brasil e o mundo nos últimos anos, o mercado imobiliário passou por grandes dificuldades. O ano mais complicado foi 2016, considerado o pior para esse setor, desde 2004. Mas, algum tempo depois, o mercado foi se recuperando a passos lentos e já inspira otimismo. Em 2019, taxas reduzidas e linhas de crédito estão atraindo consumidores.

Para quem deseja realizar o sonho da casa própria ou investir em um imóvel para vender ou alugar, este é um período bom. No momento, as taxas de juro estão mais baixas, ocasionando uma queda nas tarifas de financiamento.

Tarifas e financiamentos da Caixa Econômica Federal

Em outubro de 2019, a Caixa Econômica Federal anunciou redução de até 1 ponto percentual para financiamentos com recursos de poupança. Tanto a linha SFH (Sistema Financeiro de Habitação) quanto a SFI (Sistema Financeiro Imobiliário) foram incluídas na redução de tarifas. Ainda este ano, a Caixa já havia reduzido até 1,25 ponto percentual nas taxas, além de ter lançado uma linha de crédito imobiliário com tarifas corrigidas pelo IPCA.

Taxa Selic

A sigla Selic significa Sistema Especial de Liquidação de Custódia. Consiste na taxa básica de juros da economia no Brasil. A taxa é resultado da média ponderada dos juros praticados pelas instituições financeiras e é responsável por controlar a venda de títulos do Tesouro Nacional.

A taxa Selic não influencia apenas os grandes bancos, mas todo o mercado financeiro. Nos últimos meses, essa tarifa vem baixando, chegando 5,5%, o menor valor desde o início do Banco Central. Com isso, os bancos públicos e privados diminuem também as taxas de juros para financiamento. Portanto, trata-se de mais um ponto favorável para investir em imóveis no momento.

Outros bancos

Além da Caixa, outros bancos estão reduzindo tarifas e criando ou aprimorando linhas de crédito, com o objetivo de competir pelo consumidor, facilitando o investimento em imóveis. As medidas recentes da Caixa, por exemplo, foram uma resposta às ações de bancos privados como Bradesco e Itaú.

O Bradesco tem a taxa de juros mais acessível entre os bancos privados, de 7,30% + TR. Isso levou o Itaú a reduzir juro no financiamento imobiliário para 7,45% + TR.

Valorização

Os incentivos e juros baixos do presente tornam mais fácil e acessível investir em um imóvel. Mas com o aquecimento no mercado, além de novos empreendimentos e investimentos nas cidades, a tendência é que os imóveis sejam cada vez mais valorizados com o passar do tempo.

O mercado imobiliário hoje é um campo fértil para investir e lucrar. Excelente para quem quer ter um bom retorno financeiro futuramente. O momento é crucial para fazer investimentos com segurança, pagando menos e com uma maior previsão de lucratividade.

Gostou deste artigo? Então continue acompanhando o nosso blog e redes sociais.

Deixe um Comentário